Search

EM ALTA: Casos de dengue crescem no Brasil nas primeiras semanas de 2024; veja os sintomas e como se prevenir

De acordo com dados do Ministério da Saúde, os casos de dengue no Brasil cresceram significativamente nas primeiras semanas de 2024. No período de 02 de julho de 2023 e 13 de janeiro de 2024, foram registrados 305.190 casos prováveis da doença – 150,3 casos a cada 100 mil habitantes.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, esse aumento tem relação com o calor excessivo combinado às chuvas intensas, efeito associado ao fenômeno climático El Ninõ. Mas com o aumento dos casos, surge a dúvida: Dá para prevenir a doença? A resposta é: SIM. Veja alguns dos principais pontos sobre a doença, incluindo sintomas e formas de evitá-la.

SOBRE A DOENÇA

A dengue faz parte de um grupo de doenças denominadas arboviroses, que se caracterizam por serem causadas por vírus transmitidos por vetores artrópodes. No Brasil, o vetor da dengue é a fêmea do mosquito Aedes aegypti (significa “odioso do Egito). Os vírus dengue (DENV) estão classificados cientificamente na família Flaviviridae e no gênero Flavivirus. Até o momento são conhecidos quatro sorotipos – DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4 –, que apresentam distintos materiais genéticos (genótipos) e linhagens.

SINTOMAS

Segundo o Ministério da Saúde, a partir do momento que surge uma febre (39°C a 40°C) de início repentino e apresentar pelo menos duas das seguintes manifestações – dor de cabeça, prostração, dores musculares e/ou articulares e dor atrás dos olhos – o paciente deve imediatamente procurar um serviço de saúde, a fim de obter tratamento oportuno.

Outros sintomas em casos graves:

  • dor abdominal (dor na barriga) intensa e contínua; 
  • vômitos persistentes;
  • acúmulo de líquidos em cavidades corporais (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico);
  • hipotensão postural e/ou lipotímia;
  • letargia e/ou irritabilidade;
  • aumento do tamanho do fígado (hepatomegalia) > 2cm;
  • sangramento de mucosa; e
  • aumento progressivo do hematócrito.

PREVENÇÃO:

  • uso de telas nas janelas e repelentes em áreas reconhecidas pela transmissão;
  • remoção de recipientes que possam se transformar em criadouros de mosquitos;
  • vedação dos reservatórios e caixas de água;
  • desobstrução de calhas, lajes e ralos;

O diretor executivo da ASTIR, subtenente PM Francisco Reginaldo, destacou a importância de combater o Aedes Aegypti.

“A prevenção contra a dengue não apenas protege você, mas também contribui para a segurança e bem-estar de toda a comunidade, sendo uma ação crucial para impedir a propagação do vírus e promovendo um ambiente seguro para todos” afirmou o diretor.

Fonte: Ministério da Saúde

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *